Imigrantes - Atualização

Atualizado: Jan 14

No dia de ontem, 6 de Dezembro, no culto da noite em comemoraçao aos Adolescentes da Igreja, fomos agraciados com a mensagem trazida da parte de Deus, através do Pr Adenilson Soares de Moura, que cito abaixo como uma referência para a minha postagem sobre os imigrantes que vieram para Alto Jequitibá, MG, colonizando essa terra abençoada, o qual não conhecia. E foi um prazer "inenarrável" (amo essa palavra desde adolescente rsrsrsrs) que realmente nao há como narrar, a felicidade de conhecer pessoalmente, e ver como Deus trabalha em nossas vidas...


O assunto da sua tese foi e é muito interessante, e infelizmente poucos estudiosos se envolvem nele para nos trazer maior riqueza para nossa tradição e compreendermos melhor nosso povo e nossa terra.


Caro Pastor Adenilson, muito obrigada pela coragem em adentrar por essa veia da nossa cultura, e trazê-la até nós, com seus estudos. Parabéns!






“Mas não sabem os pensamentos do Senhor, nem entendem o seu conselho, porque as ajuntou como gavelas em uma eira.” ‭‭Miqueias‬ ‭4:12‬ ‭ARC‬‬

A Palavra de Deus nos diz no livro de Miqueias que Ele nos ajuntou como feixes em uma eira.


Para o nosso povo da região de Minas Gerais que é na sua maioria uma região cafeeira poderá entender melhor esse substantivo feminino:


Terreiro

Segue aqui alguns questionamentos para compreendermos dentro da nossa realidade:


Para que o terreiro?

Afim de entendermos melhor o uso do terreiro precisamos explicar um pouco das técnicas de produção de café, no inicio de sua produção aqui no Brasil.


  1. Inicialmente se desmatavam terras onde era necessário expandir as áreas agricultáveis para a colocação das mudas da planta. Estas demoravam cerca de cinco anos para começar a produzir. Nesse tempo, outras culturas eram plantadas em torno dos cafezais, principalmente gêneros alimentícios. Para a conservação das plantas, eram necessárias apenas enxadas e foices.

  2. A colheita era feita manualmente pelos escravos, que, após essa tarefa, colocavam os grãos do café para secar em terreiros.

  3. Uma vez seco, o café era beneficiado, retirando-se os materiais que revestiam o grão através de monjolos, máquinas primitivas de madeira formadas por pilões socadores movidos a força d’água. (Veja a referência clicando aqui)


Nossos antepassados tinham uma dificuldade enorme para colher a enorme quantidade de cafés dos pés e trazê-los ao terreiro pra que secassem. E para que isso ocorresse ele precisava de muitos empregados, o que na época do império, eram feitos pelos escravos. Após a abolição da escravatura em 1850, os fazendeiros foram obrigados a substituir os escravos pelos trabalhadores livres assalariados – imigrantes europeus que tinham o incentivo do governo para trabalhar nos campos de cultivo.


Vinda dos Imigrantes para Alto Jequitibá


Foi aí que nossos antepassados vieram parar aqui em Alto Jequitibá.


Com o incentivo das famílias europeias para virem para um país e ganharem terras muitos vieram em navios e desembarcaram no Rio de Janeiro e logo depois vinham para o interior de Minas Gerais, especificamente em nossa cidade.


Observe as informações de @Moura em seu trabalho de Dissertação no curso de Mestrado intitulado "A influência do protestantismo calvinista na cidade de Alto Jequitibá (2019)" :

Vimos num relato bem rápido e sucinto, um pouco de nossa historia cafeeira que vem ultimamente sendo valorizada através de concursos para melhoria da qualidade de nossos cafés, mas que a meu ver não são publicados para toda a população, principalmente para as que não tem acesso a internet, e nao há outros meios populares para publicação desses concursos.


Vejo que há uma lacuna onde somente os "grandes"produtores de café tem acesso a essas informações, deixando justamente aqueles pequenos produtores que poderiam e deveriam ser incluidos para que melhorassem sua renda e consequentemente sua qualidade de vida.


Por um trabalho de alcance dos produtores cafeeiros que realmente precisam do apoio do governo com os financiamentos dos seus materiais sem a interferência e indução de terceiros que estão infiltrados com a intenção de promoção e venda de seus produtos a estes produtores.


Que haja um trabalho sério sem a corrupção, ultimamente tão combatida!!!


Começa agora a contagem regressiva.


Em meus posts expostos no facebook eu coloquei uma parte de meus projetos para Alto Jequitibá no meu cargo de Vereadora, caso eleita.


Assim que começou a corrida para a escolha dos candidatos aqui em Alto Jequitibá, ouvi bastante cobrança sobre propostas, mas ouvi poucas registradas seja em audio ou escrita.


Relatei as minhas idéias e propostas com base na Lei Federal 204-320/1964 e sei que muita luta terei para conseguir colocar em pauta essas mudanças para melhoria do povo jequitibaense.


Porém uma coisa é certa: Quem me chamou é maior que tudo isso e Ele é dono de toda terra e céu. As leis do homem podem ser mudadas mas a de Deus jamais.




Bom dia! Boa tarde! Boa noite!


Marilza Loubach



42 visualizações0 comentário
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram

Marilza Loubach

SITIO INDAYASSU

ALTO JEQUITIBA - MG - 36976-000 - BRAZIL

CNPJ: 34156819000164

Para perguntas entre em contato com a autora

 marilzaloubach@gmail.com

Guarapari ES - Brasil

Inscreva-se para receber notícias e atualizações
de Marilza Loubach

© 2023 by Daniel Lunsford. Proudly created with Wix.com

0
This site was designed with the
.com
website builder. Create your website today.
Start Now